sexta-feira, 10 de julho de 2015

Oportunidade de Amar...

Fones nos ouvidos, música tocando mas meus pensamentos estão longe... Bem longe...
Me deparei com uma foto sua nas redes sociais.
E comecei a questionar "por que cargas d'água me apaixonei por você?"
Uma menina de 15 anos, que julgava amar como mulher de 25.
Dizia que meu amor por você era verdadeiro... E vou confessar que sim: era amor. E não paixão.
E sim era verdade. Mas hoje ele não mora mais em mim.
Mas a questão aqui é: por qual motivo cheguei a esse ponto?
Falam que essas coisas não tem explicação... E realmente, algumas situações não há como explicar.
Porém, lembrando daquela época, fui atrás de respostas.
Sempre me apaixonei por meninos que não eram muito bonitos, super inteligentes e mais esse monte de características que são postas no pódio por muita gente.
Pra despertar o melhor dos sentimentos em mim não é preciso muito esforço.
(Não estou dizendo que sou boba, ok? OK!)
Gosto de senso de humor (e ao meu ver, você tinha isso). Nunca vi alguém se divertir tanto fazendo piada do meu 1,53. (Acho que cresci 1cm).
Sempre caia na gargalhada com as coisas sem sentido que você falava.
Eu gostava do som da sua risada. To falando sério! Gostava mesmo.
Não sou a louca apaixonada por gente alta - até porque não exijo dos outros algo que nem eu tenho - mas das poucas vezes que senti teu abraço, seu coração estava na altura dos meus ouvidos.
Talvez isso soe de forma estranha. Mas ouvir as batidas do teu coração (calmo por sinal, diferente do meu), me trazia segurança. Gostava de sentir essa segurança.
Diziam que suas roupas combinavam com as minhas.
É... Talvez combinassem (ou combinem, afinal não mudamos muito).
Gostava de suas roupas, do seu cabelo desarrumado.
Do seu boné com aba virada pra trás.
Você sempre estava com as mãos nos bolsos das calças.
Sempre achei isso curioso.
Mas - para mim - era charmoso.
Lembro de quando falamos de faculdade. Você queria cursar comunicação.
Fiquei surpresa com isso - até hoje você foi o único menino que conheci que não dava bola pra engenharia- e imaginei quantas conversas poderíamos ter.
Daquelas que um café fresco é sempre bem vindo.
Falando nisso, nossas conversas sempre eram um tanto quanto profundas.
Do tipo que você fica o resto da dia pensando nelas...Me fazia tão bem.
Por esses - e com certeza mais uma porrada de motivos - foi que me apaixonei por você.
E não que eu não sinta falta, apenas prefiro as lembranças boas.
Evito pensar que várias vezes você me deixou no escuro. E sem explicar o porque.
Mas é que eu gostava de você, com todos os seus complexos, medos, falhas, qualidades que um garoto de 17 anos tem.
Deixo aqui meu muito obrigada - embora eu acho que você já sabia disso - por despertar em mim cada sensação maravilhosa. Por cada frio na barriga.
Pelos dias ensolarados.
Pelos três anos de amor verdadeiro... Por mais que ele não tenha sido recíproco.
Tive a oportunidade de amar.