sábado, 10 de dezembro de 2016

Só Vamos Entender Quando Chegarmos Lá Na Frente



É inacreditável perceber o quanto a dor, a decepção e o sofrimento nos motivam a seguir em frente (não de primeira, mas sim depois de um tempo). E tudo isso porque tudo que se quer é superar aquilo que nos faz chorar todas as noites até pegarmos num sono.
Basta apenas decidir: vou aprender a lidar com isso do modo fácil, ou do modo difícil?

Dediquei muito do meu tempo a uma pessoa que hoje, não se faz mais presente (ele não morreu ok? Apenas não estamos mais juntos) e por motivos que não vem ao caso, não fomos adiante, simplesmente chegamos a "Game Over".
Não é algo fácil de se passar. Porém é preciso.

Hoje enquanto estava no banho, comecei a me questionar: até que ponto eu poderia ir com a dor que estou sentindo?
Tudo isso é algo necessário, pois não será do dia pra noite que eu vou superar um término.
(Sinto muito por não ser tão desencanada assim).
Então no meio do meu questionamento, eu comecei a traçar planos.
Ou melhor dizendo, revisei minhas metas (todas encabuladas no fundo da mente) e troquei o "Nós" por "Eu".
Uma simples inversão prioridades que fez toda diferença.
Antes que você pense que talvez eu seja uma louca, que  cria histórias e expectativas em cima de alguém, que me deixei levar pelo sentimentos e vivi por outra pessoa e me esqueci da minha vida, pode ja cancelar essa ideia.
Eu não vivi por ninguém a não ser por mim.
Mas claro, também fiz planos que incluiam outra pessoa.
Não quero abrir mão deles, sei que posso alcançar aquilo que um dia almejei dividir com alguém, com a minha ilustre companhia (ou talvez até com outra pessoa).
Porém foquei no "eu" deixando de lado o "nós", que aparentemente não pode ser visto no momento.

Escolhi lutar para ficar mais forte, quero amadurecer e aos poucos, ir transformando tudo que tive com ele, em uma lembrança que um dia ficarei feliz em revive-la mentalmente.
Acredite se quiser, é isso que nos mantém vivos.
Dores, decepções, erros, dúvidas... É o conjunto de coisas que nos faz caminhar um dia após o outro.
Vai haver recaídas, vou chorar muito, vou desejar nunca ter chegado ao fim, sobretudo chegará o dia em que estarei sentada em algum lugar e vou me dar conta, do quanto toda essa bola de neve foi necessária. E vou ser grata por isso.

Não sei pelo que você tem passado, teve muitos momentos tristes e difíceis, mas vamos sobreviver a cada um deles ok?
E la na frente vai poder me contar, o quão precioso foi o teu aprendizado durante todo o processo de superação.
Então não desista, tenha fé e seja grato, as coisas demoram, mas elas (um dia!) finalmente acontecem!